Tela inox: AISI, abertura, malha e tecitura

arte com várias imagens da tela inox com diversas aberturas

A tela inox está presente em diversos setores industriais devido às suas características técnicas.

Quando o assunto é tela inox é comumente entendido como um material que não sofre alterações, mesmo quando exposto às condições mais adversas.

Na realidade, existem diversos tipos de aço inox que apresentam mais resistência à corrosão e a altas temperaturas quando comparado a outros tipos de aço, porém o aço inox não é um produto indestrutível e precisa ser substituído quando sofre degradação.

A tela inox apresenta resistência à oxidação e corrosão devido à inclusão do cromo, que quando representa determinado percentual na composição do aço, ao entrar em contato com oxigênio, gera uma película de óxido cromo sobre a superfície do aço. Essa camada de óxido cromo é impermeável e insolúvel em alguns meios corrosivos.

Arte com várias imagens de tecidos e tela inox A composição da tela inox pode atribuir outras características ou reforçar atributos. Os metais mais utilizados para compor a tela inox são:

Cromo

As ligas ferrosas, que possuem 12% de cromo, apresentam resistência à oxidação e à corrosão. A tela inox AISI 420 (martensítico) alta dureza e AISI 302 ótima ductilidade, são exemplos de aço inox que resistem a vapores agressivos.

Níquel

A adição de níquel proporciona melhor:

  • ductilidade (estampagem);
  • resistência mecânica à quente;
  • soldabilidade (fabricação);
  • resistência à corrosão.

O cromo e o níquel fazem parte dos elementos primordiais das telas de aço inoxidável e a composição com outros elementos complementam as funções.

Cobre

Quando a liga de aço recebe um percentual de cobre, tem a capacidade de aumentar a resistência à corrosão por via úmida.

Alumínio e silício

A utilização do alumínio e do silício melhora a resistência à corrosão e à alta temperatura.

Titânio e nióbio

A adição de titânio e nióbio para a produção do aço inoxidável possui efeito estabilizante, impedindo o empobrecimento do cromo, via precipitação em forma de carbonetos, durante o aquecimento ou resfriamento lento (em torno de 700 °C), que provocaria uma diminuição da resistência local à corrosão.

Resistência do aço inox

detalhe da tela de inoxA resistência do aço inox depende especialmente da composição química e das condições de exposição.

A composição química é obtida por meio da adição de outros elementos para compor a liga.

O níquel (Ni) é uma dos elementos mais utilizados para melhorar a liga e transformar liga ferrítica em liga austenítica, com alta resistência e tenacidade.

A característica mais valorizada é a resistência à corrosão, que associada à resistência a altas e a baixas temperaturas torna possível a utilização em sistemas de forneamento rotativos e em túneis de resfriamento.

Características da tela inox

A tela inoxidável é muito utilizada devido a:

  • aparência;
  • resistência à corrosão;
  • resistência à oxidação;
  • resistência mecânica.

A resistência mecânica e a diversos químicos permite a utilização da tela inox nos mais variados setores.

A resistência à oxidação e a temperaturas elevadas possibilita a utilização em fornos e a exposição em ambientes com altas temperaturas.

A resistência à corrosão se apresenta em vários níveis dependendo da composição do aço. A adição de molibdênio aumenta a resistência à corrosão alveolar.

A tela inox é durável e muito utilizada em diversos processos industriais para a classificação, granulação, limpeza, pelotização e beneficiamento.

Relação entre abertura, malha e diâmetro de fio

A abertura da tela está diretamente ligada à malha e ao diâmetro do fio.

Imagem da tela de inoxA malha ou mesh é o número de fios presentes no espaço de 1 polegada. Para verificar a malha da tela basta utilizar uma régua e somar quantos fios ocupam o espaço de 2,54 cm, ou seja, 1 polegada.

A abertura da tela é o espaço aberto entre os fios, que permite a passagem do elemento. Também conhecida popularmente como furo da tela, a abertura é uma informação relevante para determinar as possibilidades de aplicação.

A grande maioria das telas inox possuem abertura quadrada, porém também é possível encontrar no mercado telas com aberturas retangulares, ideais para determinados tipos de separação.

O diâmetro do fio nada mais é do que a grossura do fio. O diâmetro pode ser verificado com a ajuda de aparelhos como micrômetros, paquímetros e com projetor de perfil microscópio.

A escolha do fio e da tecitura irá determinar a abertura da tela e a malha. Quanto maior for o diâmetro do fio, menor será a malha. Já a abertura pode variar conforme a configuração da tecitura.

Tecitura da tela inox

As telas são elaboradas a partir do entrelaçamento dos fios. A tela inox pode apresentar tecitura trançada (plana e cruzada) e reps (plana e cruzada).

Tecitura plana (1×1)

A tecitura plana 1×1 é considerada uma tecitura simples. O entrelaçamento ocorre com a passagem de um fio por cima e um fio por baixo. Essa construção acontece na horizontal e na vertical.

Tecitura cruzada (2×2)

A tecitura cruzada 2×2 é elaborada com a passagem do fio por cima e por baixo de dois fios, tanto na horizontal quanto na vertical. Essa forma de elaboração origina uma tela mais resistente e com abertura mais irregular que a tecitura 1×1.

Tecitura reps plana

Tela inox com tecitura repsA tecitura reps plana é feita com fios mais grossos que são posicionados verticalmente com espaçamento entre eles. A tecitura é realizada com fios mais finos que são entrelaçados por cima e por baixo dos fios grossos, posicionados paralelamente e encostados um ao outro.

Essa configuração de tecitura é muito resistente, porém somente realiza a filtração sob pressão.

Tecitura reps cruzada

A tecitura reps cruzada é criada com fios mais grossos posicionados verticalmente, com espaçamento entre eles. O entrelaçamento é elaborado com a passagem do fio mais fino por cima e por baixo de dois fios grossos verticais. Esse fio mais fino é posicionado paralelamente e encostado um ao outro.

Essa forma de tecitura cria uma tela mais resistente e com abertura bem fechada, que apenas realiza filtração sob pressão.

Tela inox para filtro e peneira

Detalhe da tela inox A tela inox para filtragem foi desenvolvida para fazer a captação e retenção das impurezas durante inúmeros processos industriais.

A utilização da tela inox possibilita filtragem de alto nível e com ótimo desempenho.

A tela inox é muito utilizada para a fabricação de filtros e peneiras para o segmento alimentício e farmacológico devido à resistência a altas temperaturas, estabilidade e baixo risco de contaminação.

A ampla variedade de telas inox possibilita a criação de uma ampla gama de filtros e peneiras para as mais diversas aplicações.

Aplicações da tela inox

A tela inox é utilizada nos processos de filtração, separação, classificação e peneiração nas indústrias químicas, petroquímicas, alimentos, bebidas e agrícola.

Para atender a cada aplicação nos mais variados ramos foram desenvolvidas telas de inox com diferentes composições e características, dentre elas estão as mais populares com AISI 302, AISI 304, AISI 304L, AISI 316, AISI 316 L e AISI 430. Também foram desenvolvidas telas específicas para aplicações como:

As características técnicas e o excelente desempenho fazem da tela inox uma opção durável muito utilizada nos mais variados segmentos industriais.

Entenda o que significa a nomenclatura da aço (AISI)

A classificação AISI (American Iron and Steel Institute) é um sistema padrão amplamente reconhecido para identificar a composição química de aços e ligas de aço. A classificação AISI para aços inoxidáveis é uma das mais usadas na indústria e serve para distinguir as diferentes séries de aços inoxidáveis de acordo com suas propriedades e composição.

Aços inoxidáveis são aços que contêm pelo menos 10,5% de cromo, o que lhes dá uma resistência superior à corrosão. Eles podem ser divididos em várias categorias, dependendo de sua composição química e das propriedades desejadas. Algumas das séries AISI mais comuns para aços inoxidáveis incluem:

1. Série AISI 200

Esses são aços inoxidáveis austeníticos, que têm níquel e manganês como principais elementos de liga. Eles são conhecidos por sua formabilidade e resistência à corrosão. O AISI 201 e AISI 202 são os tipos mais populares desta série.

2. Série AISI 300

Esta é provavelmente a série mais conhecida, e inclui os aços inoxidáveis austeníticos. O AISI 304 e AISI 316 são os mais populares nesta série. O AISI 304 é amplamente utilizado em aplicações domésticas e industriais devido à sua excelente resistência à corrosão e formabilidade. O AISI 316, que contém molibdênio, tem resistência superior à corrosão em ambientes marinhos e químicos.

3. Série AISI 400

São aços inoxidáveis ferríticos e martensíticos. A série 400 inclui aços com elevado teor de cromo, e alguns tipos, como o AISI 420, também possuem carbono significativo, tornando-os duros e resistentes ao desgaste. O AISI 430, um inox ferrítico, é popular para aplicações de acabamento decorativo.

4. Série AISI 500 e 600

Estes são aços inoxidáveis de endurecimento por precipitação. Eles são tratados termicamente para obter uma combinação de alta resistência e boa resistência à corrosão.

Ao escolher uma tela de aço inox para uma aplicação específica, é essencial considerar a série AISI, pois cada uma tem propriedades únicas que podem afetar o desempenho e a longevidade do material no ambiente pretendido. A seleção adequada leva em consideração fatores como resistência à corrosão, propriedades mecânicas, formabilidade, soldabilidade e custo.

Já a nomenclatura “L” em aços inoxidáveis, como no AISI 316L, refere-se a “Low Carbon” (Baixo Carbono em português). Esta designação indica que o aço tem um teor mais baixo de carbono em comparação com a sua versão padrão.

No contexto do AISI 316L, o baixo teor de carbono é particularmente importante por algumas razões:

1. Resistência à Corrosão Intergranular

Aços inoxidáveis austeníticos, como o 316, podem ser suscetíveis à corrosão intergranular se forem aquecidos na faixa de temperatura entre 425°C e 815°C. Esta vulnerabilidade ocorre porque o carbono no aço combina-se com o cromo para formar carbonetos de cromo nas fronteiras dos grãos, retirando o cromo da matriz e tornando-a mais susceptível à corrosão. Ao reduzir o teor de carbono, como no 316L, a formação de carbonetos de cromo é minimizada, e assim a resistência à corrosão intergranular é melhorada.

2. Soldabilidade

O baixo teor de carbono no AISI 316L torna-o mais resistente à formação de carbonetos prejudiciais durante a soldagem, o que pode comprometer a resistência à corrosão do metal na zona afetada pelo calor. Assim, o 316L é frequentemente escolhido para aplicações que envolvem soldagem.

3. Aplicações em Altas Temperaturas

Para aplicações que envolvem exposição prolongada a altas temperaturas, o baixo teor de carbono no 316L pode oferecer uma resistência à corrosão melhorada em comparação com o 316 regular.

Para dar uma perspectiva quantitativa, o AISI 316L geralmente contém no máximo 0,03% de carbono, enquanto o AISI 316 padrão pode ter até 0,08% de carbono. Portanto, ao escolher entre o 316 e o 316L, é importante considerar as necessidades específicas da aplicação, especialmente se a soldagem ou a resistência à corrosão em altas temperaturas são preocupações primárias.

Assine nossa news e fique por dentro das novidades